Marketing Digital

Arquivo do Autor

Os serviços de banda larga das prestadoras privadas apresentaram em 2010 crescimento de 71% em sua base, fechando o ano com 34,2 milhões de acessos fixos e móveis.

Segundo levantamento da Telebrasil – Associação Brasileira de Telecomunicações, ao longo dos últimos 12 meses foram ativadas 14,2 milhões de novas conexões, o que significa que a cada minuto 27 novos clientes passaram a ter acesso à internet rápida no Brasil.

Boa notícia que clabora também para o crescimento da publicidade online que está se tornando rapidamente uma das principais opções em campanhas publicitárias. Afinal, quanto mais rápidas forem as conexões,  melhores e mais criativas serão as ferramentas e as peças online que os consumidores poderão acessar mais facilmente

 

Anúncios

 

Banco ganha página oficial na maior rede social do mundo.

 

São Paulo – Na página oficial do Bradesco no Facebook, os internautas poderão esclarecer dúvidas, conhecer produtos do banco, obter informações sobre eventos e patrocínios. Dessa maneira, o banco pretende criar mais um canal de comunicação direta com seus clientes.

O banco também está presente em outras redes sociais como Twitter, onde já tem cerca de 29.000 seguidores e só na primeira quinzena do mês de dezembro, foram 13.000 mensagens postadas e todas elas avaliadas. Já no Canal YouTube Bradesco, o cliente pode visualizar as campanhas publicitárias criadas para o banco

Fonte:exameabril

Nada como uma boa estratégia de marketing digital para temperar os mercados e trazer resultados positivos para seu negócio. Mas, para obter excelência é necessário possuir informações relevantes à seu comportamento, e o que lhe faz mudar de hábitos, as tendências.

Nada como uma boa estratégia de marketing digital para temperar os mercados e trazer resultados positivos para seu negócio. Mas, para obter excelência é necessário possuir informações relevantes à seu comportamento, e o que lhe faz mudar de hábitos, as tendências. Essas são informações imprescindíveis para entender melhor seu nicho e dar a ele aquilo que ele quer e pode utilizar.

Segundo dados do E-bit, 75% dos e-consumidores estão cursando ou já cursaram o ensino superior, correlacionado ao fato de que 86% tem mais de 25 anos. Óbvio ou não, fica observado que informações como essas devem ser tidas como relevantes para sua estratégia de marketing digital. É importante considerar fatores que podem ditar o rumo de seus empreendimentos on-line, como que 98% dos usuários utilizam o sistema operacional Windows, enquanto o Internet Explorer (49,87%), navegador nativo desse sistema operacional já vem sentindo a aproximação do Mozilla (31,5%) e do Google Chrome (11,54%).

A tecnologia avança, e com ela o poderio dos concorrentes, os desejos dos consumidores e a escassez de recursos. E para ganhar sua fatia de mercado, a investigação a respeito de cada passo dado pelo consumidor, deve ser analisada minuciosamente com investimentos em SEO e pleno desenvolvimento do marketing 3.0 proposto por Kotler (2010).

Empresas de sucesso respiram pesquisa e expiram resultados. Toda nova marca ao entrar no mercado, tem seu tempo para mostrar sua competência e laçar o consumidor de alguma forma. Não adianta entrar com uma página mal elaborada, com pouco conteúdo relevante, um planejamento de marketing mal definido e ficar aguardando resultados para posteriormente evoluir seu e-commerce. O único resultado que irá obter é uma marca queimada pelo boca-a-boca da internet, que acontece de forma exponencial e pode destruir seus negócios.

O e-consumidor hoje está atento não só a preço, mas ao valor agregado de outros atributos ligados à sua marca. Responsabilidade social e ambiental, hoje são chaves para o desenvolvimento de seus produtos/serviços, visto que o consumidor está preocupado, e sentindo-se na obrigação de fazer algo para ajudar o planeta, por exemplo. Campanhas do WWF, Green Peace, e o Salve a Amazônia, estimulam esse desejo humanitário do consumidor, o que é uma oportunidade para empresas aproveitarem para ‘dançar conforme a música’ como Bradesco, Unilever, FIAT, entre outros já fazem.

Para lançar sua página na internet, seja ela corporativa ou não, deve-se planejar com intensidade antes de colocá-la no ar, valendo lembrar que é o primeiro passo do PDCA (Plan, Do, Check, Action). Um erro gravíssimo que ocorre na internet é de novos blogueiros, que criam uma página e no mesmo instante, ainda sem conteúdo, divulgam a todos seus amigos e contatos. Isso é um erro, pois o visitante está aberto para qualquer coisa, cria uma expectativa, e quando entra na página e se depara com um portal sem teor, com um layout ainda indefinido e bagunçado, sem conteúdo, muito provavelmente não voltará, e criará uma imagem negativa de sua marca.

O primeiro passo para fortalecer sua nova marca, partindo do zero, é realmente ter um conteúdo relevante e útil para seu público. Não adianta entrar no mercado sem uma boa estratégia para crescimento, o que vai destruindo sua marca em poucos dias. Inicialmente, é interessante que se faça um trabalho à surdina. Adaptar o layout, fazer testes, colocar todas as ferramentas que lhe serão úteis, rechear de conteúdo, investir em SEO, ou seja, configurar tudo antes de fazer sua inauguração.

Certifique-se de que tudo em seu portal está funcionando corretamente, confira com frequência, peça a amigos que entendem do assunto para entrarem para lhe dar dicas (muitas vezes não conseguimos enxergar) e, obviamente, corrija-os e volte a testar. Não tenha pressa, faça tudo no tempo necessário para que tudo esteja primoroso. É natural ouvir novos blogueiros falarem “não está muito bom, mas com o tempo vou melhorando” ou “quase ninguém visita, por isso quase não mexo”. Frases como essa mostram que a pressa em lançar o site, destruiu a ideia principal que talvez fosse genial, que devastou todo seu investimento e sua marca. O que levaria um visitante a voltar em sua página, sendo que ele conhece dezenas de páginas semelhantes e melhores que a sua?

O marketing de conteúdo, em fusão com outros componentes, ajuda a formar o marketing digital. Não é preciso dizer que o produto de seu site, é seu conteúdo. Não adiantaria continuarmos falando em estratégias de SEO, investimento em redes e mídias sociais e parcerias, senão deixasse claro que o usuário está na sua página apenas a procura de informação útil e relevante.

Entretanto muito mais do que encher sua página de muito (e qualquer) conteúdo é interessante ter um nicho, e de forma imprescindível, conhecê-lo. Para entender as necessidades e desejos de seus visitantes é necessário coletar dados sobre o seu comportamento, para que consiga trabalhar no ponto chave. Investimento em pesquisa cai muito bem, adicionado de plataformas gratuitas que lhe informam estatísticas de seu visitante, como: páginas de entrada e saída, tempo da visita, número de páginas navegadas, palavras-chave numa busca orgânica que acabaram encontrando sua página (em sites de busca), palavras-chave numa busca dentro de seu próprio site, etc. Essas palavras-chave utilizadas para encontrar seu site são importantíssimas para saber o que o seu consumidor procura, e se isso pode ser encontrado em sua página. A partir dessa análise, é possível entender se está no caminho certo no seu planejamento de marketing, ou se precisará traçar novas rotas.

 

Um dos mairoes sites de compras online do Brasil, o site Submarino (http://www.submarino.com.br), lançou nessa última semana um recurso muito interessante envolvendo realidade aumentada.

O recurso que pode ser conferido no site na categoria Obras de Arte, que funciona em parceira com a Galeria Motor. Com essa parceria o Submarino passa a vender em seu e-commerce obras de arte de diversos artistas e para comemorar esse lançamento foi desenvolvido esse recurso que permitirá ao usuário conferir como ficaria a obra de arte em uma das paredes de sua casa.

Inicialmente o recurso estará disponível nas obras dos seguintes artistas: Abraham Palatnik; Adélia Klinke; Adriana Rocha; Alan Nielsen; Ale Ruaro; Alice Freire; Alice Vinagre; Amelia Toledo; Ana Holck; Ana Linnemann; Ana Lucia Mariz; Ana Niski Zveibil; Ana Nitzan; Ana Sario; Angelo Pastorello; Antonio Dias; Artur Lescher; Barbara Wagner; Beatriz Rauscher; Bebete Viegas; Bernardo Carvalho; Bettina Vaz Guimarães; Bruno Mendonça; Bruno Vieira; Caetano de Almeida; Caio Reisewitz; Cao Guimarães; Carlos Nunes; Carla Guagliardi; Chris Meirelles; Cecilia Walton; Célia Macedo; Cristiano Mascaro; Daniel Melim; Danielle Carcav; Dario Felicíssimo; Deolinda Aguiar; Dorival Moreira; Ed Viggiani; Edgard de Souza; Eduardo Climachauska; Eduardo Coimbra; Ernesto Ballesteros; Estela Sokol; Felipe Cama; Felipe Cohen; Felipe Lopez; Fernanda Assumpção; Fernanda Figueiredo e Eduardo Mattos; Fernanda Quinderé; Gabriel Centurion; Gil Vicente; Graziela Pinto; Gustavo Von Ha; Helen Faganello; James Kudo; Jeanete Musatti; Jérôme Florent; João Castilho; João Penoni; José Patrício; José Paulo; Julia Kater; Klaus Mitteldorf; Lalo de Almeida; Laura Vinci; Lina Wurzmann; Lívia Gorresio; Luiz Hermano; Luiza Baldan; Luzia Simons; Lulli; M. Luisa Lobo Editore; Madu Almeida; Malu Pessoa; Manoel Veiga; Marcelo Silveira; Marcius Galan; Marcos Chaves; Mariana Manhães; Mariana Serri; Mariana Tassinari; Marina Weffort; Maura Bresil; Milton Machado; Naiah Mendonça; Natasha Barricelli; Newman Schutze; Paulo Bruscky; Paulo Fridman; Paulo Whitaker; Pedro Motta; Presto; Raul Mourão; Renata Ursaia; Renato Dib; Renato Pêra; Rochelle Costi; Rodolpho Parigi; Sérgio De Divitiis; Sérgio Romagnolo; Sergio Sister; Shirley Paes Leme; Tomie Ohtake; Vicente de Mello; Zed Nesti.

Gostou do recurso? Comente no Blog de Marketing Digital.com.

Folha de SP

A história da internet pode não ser mais a mesma após a divulgação de um relatório da empresa de estatísticas StatCounter nesta terça-feira (5). Em marco inédito, o Internet Explorer, navegador feito pela Microsoft, registrou menos de 50% de participação no mercado mundial.

Segundo as contagens do relatório, a participação do IE caiu para 49,87% em setembro. O browser é seguido pelo Firefox, com 31,5% de participação no mercado.

O navegador que prossegue em crescimento é o Chrome, do Google: se ele tinha 3,69% do mercado em setembro de 2009, o porcentual de setembro de 2010 chega a 11,54%.

“É certamente um marco na guerra dos navegadores da internet”, disse o executivo-chefe da StatCounter, Aodhan Cullen. “Há apenas dois anos, o Internet Explorer dominava o mercado mundial com 67%.”

O acordo de competitividade feito entre a Microsoft e a Comissão Europeia –a fim de que a empresa oferecesse escolha aos usuários europeus sobre os navegadores além do IE– foi diretamente proporcional à queda global do browser, afirmou ele.

As contagens da companhia se baseiam em uma amostra que excede 15 bilhões de visitas a sites por mês, coletadas a partir de mais de 3 milhões de sites.

Já a empresa Net Market Share apresentou outro relatório divulgado sobre setembro: nesse mês, o IE detinha 59,65% (o número é variável de acordo com os métodos de medição das companhias).

Ser publicitário é…

… ser um pinóquio;
…um sofredor feliz;
… como uma puta. Pagando bem, ele faz qualquer coisa;
… uma raça em constante extinção;
… metido;
… o desempregado de amanhã;
… o Nizan Guanaes, que ganha dinheiro e chicoteia pessoas. Eu sou escravo;
..aquele que engana as pessoas honestamente;
… é osso, principalmente quando se trabalha num canil.
…advogado do diabo das marcas;

Para mim, publicitário é um profissional que é ao mesmo tempo especialista de tudo e de nada, já que necessita criar para produtos muito diferentes entre si no mesmo dia e para isso às vezes precisa (tentar) entender a alma feminina para a campanha de um cosmético e logo depois precisa acordar seu lado cachaceiro para ter idéias para aquele job da cervejaria ou qualquer bebida alcoólica.

Além de ter que criar para produtos que fazem mal à saúde, muita gente acha que trabalhar com publicidade é ser uma espécie de fábrica de idéias ambulante: é só chegar, pedir à mente aquela sacada genial digna de Cannes e voilá: em menos de cinco minutos você fez o seu trabalho e já está pronto para outra.

É por isso que muitos se iludem quando entram no mercado e se decepcionam com a dura realidade da profissão. Muita gente não consegue ser a prostituta do cliente da agência, pelo menos, quando se trata das idéias para a campanha.

 

Vermelho simboliza garra, azul é esperança e verde é riqueza. Seria isso mesmo? Bem, o estudo de cores e seus significados pode ficar para depois, porque agora vamos apenas analisar a distribuição de cores nos ícones do 100 maiores sites do mundo.

O Colour Lovers encarou essa missão e dividiu o resultado em um belo gráfico que, infelizmente, não é interativo. Através dele você percebe que azul e vermelho são as duas cores mais comuns. Enquanto o azul está na marca de Twitter, Facebook e PayPal, por exemplo, o vermelho ilustra CNN, YouTube e Mozilla. O UOL aparece na 43ª posição do ranking, contribuindo com tons alaranjados (e um pouco de vermelho).

A compilação também se divide em gráficos menores, por setor, que destacam os principais nomes em áreas como blogs, fotos e redes sociais. A conclusão dos pesquisadores: “as principais marcas de cada área tendem a usar uma paleta de cores semelhante”.

______

Cores da web: Colour Lovers.
Lá do Presurfer.
Imagem: Reprodução.